5827813.3a81a9f.93b0415d0c1e41d8b1d22da355145332
cachorro enjoou da ração

MEU CACHORRO ENJOOU DA RAÇÃO, E AGORA?

Share on FacebookTweet about this on TwitterEmail this to someonePrint this pagePin on PinterestShare on LinkedInShare on Google+

A a veterinária Fabíola Monteiro conta porque isso acontece e como evitar.

 

Ao contrário dos humanos, os cachorros não precisam de variações no cardápio, desde que estejam comendo um alimento completo e balanceado.

Na verdade, quando o assunto é jejum, os cachorros demonstram uma capacidade sensivelmente superior aos humanos. Mas, mesmo encarando jejum numa boa, um cachorro saudável não deve ficar mais de dois dias sem comer. E jamais deve ficar longos períodos sem beber água.

Bom, mas voltando ao assunto desse post, um dos principais motivos da aparente falta de comer dos cachorros pode ser atitudes do seu dono.

Qual sua reação quando ele não come?

Se você demonstra apreensão e angústia, saiba que ele percebe isso, e a aparente falta de vontade de comer nada mais é do que uma estratégia para chamar a sua atenção e conseguir aquele petisco saboroso ou ganhar um carinho extra.

O mais importante nessas horas é não ceder. Persistência é chave, assim como em qualquer outro processo de adestramento.

Outro motivo da falta de vontade de comer pode ser alimentação em excesso. Isto é, a porção servida pode estar sendo demais. É muito importante seguir corretamente a indicação no rótulo do alimento ou, caso você o alimente com alimentos naturais, seguir as recomendações do veterinário quanto à gramatura da alimentação.

Aliás, conversar com seu veterinário de confiança é fundamental.

Um outro grande vilão dessa “não vontade” de comer já foi citado: o petisco. Ao ganhar petiscos com muita frequência, o cachorro fica com “apetite caprichoso”, ou seja, não quer mais aquela ração “chata” e vai tentar convencer você de qualquer maneira que o bom são os petiscos. Os cachorros de pequeno e médio porte são experts nisso, pois sabem muito bem que são os bebês da casa e que você vai fazer de tudo para agradá-los.

Diante desse quadro, você certamente já se pegou pensando: “Preciso trocar a ração todo o mês, senão ela come muito pouco!”. O problema é que quando o animal entra em contato com uma comida nova, ocorre o “efeito novidade”. Ele come avidamente por umas duas semanas e, se não houver controle, poderá até ficar obeso. Mas isso passa e ele começa a comer normalmente. Nessa hora você fica com a impressão de que ele “enjoou” da comida, e já pensa em trocar por outra, quando na verdade está tudo normal.

Por último, mas não menos importante, pode ser que a área de defecação esteja muito próxima da área de alimentação. Mas isso é muito fácil de resolver, basta afastá-los.

Criar um hábito alimentar é igualmente importante. Procure servir a comida do seu amigo em horários fixos. Para os filhotes, 3x ao dia é o ideal. Já para cachorros adultos, 2x ao dia funciona muito bem. Sirva, aguarde de 15 a 30 minutos , e retire mesmo que ele não tenha comido. Se o coração amolecer, tente mais uma vez depois de 10 minutos. Depois disso, somente na próxima refeição.

Ele vai acabar sentindo fome e comendo.

Outra dica importante é que você não haja de forma diferente ao servir a comida. Simplesmente deixe o pote e saia. Evite oferecer petiscos com frequência, ainda mais perto da hora da comida.

Um truque que geralmente funciona é servir uma porção menor, bem menor. Ele vai entender que a comida está escassa e que “pode faltar”, o que fará com que seu instinto fale mais alto e ele coma.

Procure oferecer alimentos mais palatáveis e de fontes nobres. A alimentação natural é uma ótima alternativa, desde que você recorra a empresas especializadas ou um veterinário nutricionista. Se não tiver tempo de preparar em casa, procure produtos certificados, balanceados e completos.

Em geral, apenas animais com problemas sérios de inanição resistem à palatabilidade que este tipo de alimentação tem.

Se ele apresentar comportamento fora do comum, como preguiça ao buscar a bolinha ou indisposição, procure um veterinário. As dicas só valem para animais saudáveis.

Seja persistente, não ceda. A alimentação também é um exercício de adestramento. E boa sorte!

Lembre-se: qualquer alteração durante trocas de alimentação requerem atenção. Caso haja enjoos, amolecimento de fezes ou o pet fique mais de 2 dias sem comer, leve-o imediatamente ao veterinário.

 

Escrito por Fabíola Monteiro

Médica veterinária

Responsável pela empresa Panela do Pet, especializada em alimentação natural desidratada, ração natural sem corando, conservantes e aditivos químicos.

Share on FacebookTweet about this on TwitterEmail this to someonePrint this pagePin on PinterestShare on LinkedInShare on Google+

Comentários

SE VOCÊ CURTIU ESSE POST, INSCREVA-SE E SAIBA MUITO MAIS.

Promoções, dicas de nutrição, lugares, comportamento e mais, direto na sua caixa de e-mail.