5827813.3a81a9f.93b0415d0c1e41d8b1d22da355145332
ansiedade de separação dos cachorros

SEU CACHORRO FICA MUITO TEMPO SOZINHO EM CASA?

Share on FacebookTweet about this on TwitterEmail this to someonePrint this pagePin on PinterestShare on LinkedInShare on Google+

Saiba lidar com a ansiedade de separação de forma simples e fácil.

 

A partir do primeiro minuto sem o dono, o cachorro inicia um looping eterno de um único questionamento:

“Quando ele vai voltar? ”.

Dependendo da personalidade e estilo de criação, o cachorro pode desenvolver um quadro de estresse agudo. Sim, isso mesmo! Assim como as crianças, os cães podem desenvolver um quadro de ansiedade conhecida como ansiedade de separação.

Fazer as necessidades fora do local adequado, destruir móveis ou objetos de casa e latir excessivamente são os principais sinais desse quadro. É importante frisar que esse comportamento ocorre quando os donos não estão em casa, ou seja, quando na presença dos seus tutores, os cachorros têm comportamentos comuns.

Antes de tudo, como todos os assuntos que envolvem a saúde dos nossos amigos, é importante buscar ajuda profissional. No entanto, temos algumas dicas que podem ajudar você a minimizar esses sintomas, ou até mesmo evitá-los.

Pega papel e caneta e vem com a gente:

Não deixe comida disponível o tempo todo

É importante alimentar seu cachorro apenas na hora da refeição, e sempre em quantidade balanceada. Assim, quando você sair de casa, se espalhar petiscos pela casa (ou rechear um desses incríveis brinquedos especiais para isso), como ele não está acostumado a ficar com comida o tempo inteiro, isso despertará o interesse dele, distraindo-o. Ele também irá associar a sua ausência a um fator positivo (comida é sempre um fator positivo).

Estimule a independência

Aos poucos, acostume o seu cachorro a ficar sozinho. Comece com um cômodo da casa, e depois com pequenas saídas. Se o cão se comportou corretamente, valorize com pequenos gestos. Se o contrário ocorrer, ignore-o. Não o repreenda nunca, pois isso somente servirá para reforçar esse comportamento.

Como toda mudança de hábito, é um processo lento que exigirá paciência e dedicação.

Rotina é muito importante

Ter uma rotina de passeios e brincadeiras é essencial para que o cachorro não desenvolva estes sintomas. De duas a três vezes por dia, leve o seu cachorro para passear e, se possível, por pessoas diferentes. Assim ele amplia a capacidade de se relacionar com os outros e torna menos dependente da sua atenção (contratar o serviço de um dogwalker é uma ótima opção).

Nada melhor do que um conjunto novinho de coleira e guia para deixar esse passeio ainda mais divertido.

Busque ajuda especializada

Assim como temos cuidado em procurar um bom médico para nós, o mesmo deve ser feito com o veterinário. Se o cachorro é o melhor amigo do homem, o veterinário tem que ser também. Por isso é preciso que seja alguém que você e seu melhor amigo confiem. Em casos mais graves, é possível que o cão precise de remédios específicos (mas a hora de buscar ajuda, é já no início dos sintomas).

Ensinar nossos amigos a ficarem bem sozinhos também é amor.

Zee.Dog

Share on FacebookTweet about this on TwitterEmail this to someonePrint this pagePin on PinterestShare on LinkedInShare on Google+

Comentários

SE VOCÊ CURTIU ESSE POST, INSCREVA-SE E SAIBA MUITO MAIS.

Promoções, dicas de nutrição, lugares, comportamento e mais, direto na sua caixa de e-mail.